Skip to main content

Nostalgia – O Grande Dragão Branco

“Você quebrou meu recorde. Agora eu vou quebrar você! Como eu quebrei seu amigo!” – Chong Li

É com esta memorável frase acima que começamos o Nostalgia de hoje. Quem não se lembra desta famosa frase, não deve ter assistido ao filme ‘O Grande Dragão Branco’. Lançado originalmente em 26 de fevereiro de 1988, ‘O Grande Dragão Branco’ (título original ‘Bloodsport’) foi dirigido por Newt Arnold e somou uma bilheteria de US$ 11,806,119 milhões (cerca de R$ 23 milhões de reais). Seu orçamento foi de US$ 1,100,000 (cerca de R$ 2,1 milhões). Além de Jean-Claude Van Damme como Frank Dux, o filme ainda conta com Donald Gibb (Hancock) como Ray Jackson, Forest Whitaker (O Último Rei da Escócia) como Rawlins e Bolo Yeung, que atuou com Bruce Lee em Operação Dragão, como o vilão  Chong Li.

Foi neste filme que o ator belga Van Damme deu os primeiros passos da sua carreira cinematográfica nos Estados Unidos, numa história baseada em acontecimentos verídicos (segundo o polêmico lutador Frank Dux). Na trama, Van Damme é Frank Dux, um jovem treinado em Ninjutsu que aprendeu os rudimentos das artes marciais através dos ensinamentos do seu mestre Senzo Tanaka (Roy Chiao). E será precisamente num tributo à Senzo que Frank acede a participar no famoso, fodástico, mortífero e clandestino  torneio Kumite, em Hong Kong.

Durante o torneio, Frank Dux se depara como seu maior desafio: o lutador cruel Chong Li, interpretado por Bolo Yeung, ator chinês com currículo gigantesco em filmes de artes marciais e que depois desta produção se tornou amigo de Van Damme fora das câmeras. Uma curiosidade sobre o personagem Chong Li: as poucas falas que ele tem no filme são na maioria tiradas do filme Operação Dragão de 1973, filme estrelado por Bruce Lee onde Yeung também participou. Yeung inclusive chegou aparecer no Reality Show britânico “Jean Claude Van Damme: Behind Closed Doors” de 2011, onde podemos ver o astro na sua vida real fazendo coisas normais que pouco lembram suas façanhas cinematográficas. Até hoje, Chong-Li permanece como um dos mais memoráveis e assustadores vilões do cinema. Nada mal para um cara que não chega nem a um metro e setenta de altura (o que significa que eu ainda posso ser um vilão em potencial).

O verdadeiro Frank Dux foi o coordenador de lutas deste filme. Quando Jean-Claude Van Damme foi escalado, Dux disse que Van Damme não estava em boa forma, e colocou ele num programa de formação de 3 meses, que segundo Van Damme, foram uns dos treinamentos mais difíceis de sua vida. Porém, Apesar de aparente notoriedade e mesmo tendo inspirado um filme, a vida de Frank Dux está repleta de questionamentos sobre sua veracidade, principalmente em relação aos seus recordes como lutador e sua participação no torneio Kumite.

Verdade ou não, O Grande Dragão Branco trouxe a magia dos torneios de artes marciais nas telas.  Apesar de não ter uma história envolvente no início e mesmo reconhecendo as limitações do filme, o longa chama atenção realmente pelas suas cenas de lutas e o misticismo que envolve o torneio secreto de artes marciais Kumite.

Portanto, danem-se as críticas intelectualizadas e as framboesas que o filme rendeu, o legal mesmo é mergulhar de cabeça nas lutas e se sentir parte da platéia.

Meir3les

Especialista em Marketing, cinéfilo desde sempre, é também um Curumim Nerd que saiu de casa e foi ir morar na internet. Nas horas vagas da realidade costuma acreditar na existência dos Homens de Preto. Em outra vida gostaria de ser um jedi.