Skip to main content

Estreia – The Musketeers: Friends and Enemies (S01E01)

Nova coluna do site: Estreia. Sinceramente, não sei no que pensei no momento em que dei esse nome. Ele realmente me pareceu ser um título bastante simplório, sugestivo e objetivo – logicamente. Trata-se não mais do que uma análise crítica sobre o primeiro episódio de uma determinada série ou de cada temporada desta. Você pode pensar: quer dizer que você só vai falar de um único episódio da série/temporada? A resposta é simOutra possível pergunta pode ser: e as séries que já estrearam há 2 temporadas? Bom eu vou falar sobre elas também, uma vez que muitas pessoas não conhecem todas as séries que são mostradas pelo mundo. Isso vai servir como um guia sobre o que você poderia assistir. Até porque eu não vou falar de nada que eu não tenha gostado de assistir, correto?

AVISO! Abaixo você pode e vai encontrar alguns spoilers caso não tenha assistido ao episódio – essa é a ideia, aliás. Você vai ler e decidir se continua assistindo ou não xD

The Musketeers é a nova aposta da BBC depois de uma das suas mais famosas e populares produções ter chegado ao fim de temporada: Sherlock. Baseada em alguns elementos d’Os Três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas, a produção adaptada por Adrian Hodges (Primeval, Survivors) não busca ser fiel à original. Muito pelo contrário, ela quer criar uma identidade própria. Você percebe a metáfora disso logo no início do episódio. Vemos a apresentação de Alexandre D’Artagnan um pouco mais velho do que o normal. De repente. Pow! O rapaz morréu – assim como a premissa de que se trata de uma adaptação fiel ao clássico de Dumas. Seguidamente você conhece o verdadeiro D’Artagnan (Luke Pasqualino) que tem seu pai assassinado a sangue frio.

Logo após isso, somos apresentados ao famigerado grupo de mosqueteiros, um por um. Athos (Tom Burke), treinando sua arte na esgrima imediatamente ao acordar; Pothos (Howard Charles), o simpático e sisudo espertalhão do grupo; E Aramis (Santiago Cabrera), o mais galante e mulherengo entre os três. As cenas em que são apresentados cada um é bastante divertida. Até o momento, só pontos positivos para a série. Lembre-se disso.

Depois somos apresentados ao plot da trama, aquilo que vai servir como argumento e divisão entre mocinhos e vilões. Cardeal Richelieu (Peter Capaldi, excelente como sempre) quer fazer missão de sua vida acabar com a reputação dos Mosqueteiros, no sentido de força armada. Para isso, diz ao Rei Louis XIII (Ryan Gage, aposto que não você vai associar ao anão Balin) que eles estão fora de controle, envolvidos em uma onda de roubos e assassinatos – percebe o plot agora?

Aparece também a misteriosa Milady de Winter (Maimie McCoy) se envolvendo romanticamente com D’Artagnan e assassinando uma pessoa importante para a reviravolta no episódio – é a partir daqui que você começa a gostar de como as coisas estão ficando nessa história.

Em busca de vingança e suspeito de assassinato, D’Artagnan vai até Paris atrás de um tal Athos. Em seu caminho, ele conhece a meiga, mas convicta, Constance Bonacieux (Tamla Kari)acredito que a série vai explorar muito mais o papel dessa personagem na história. Logo após o encontro, ele quer estripar o cara que melhor luta com uma espada – tsc tsc. Acusado de ter matado o pai de D’Artagnan e também um casal da cidade, Athos deve ser julgado e acusado por esses crimes. Aqui começamos a perceber que o plano de Richelieu está tudo conforme planejado.

Ok, ok. Vou acelerar um pouco a partir daqui, acredito que já tenha convencido você a assistir esse episódio, não? Os três remanescentes, com exceção de Athos, decidem investigar o que está por trás dessa conspiração contra seu companheiro. Em meio a isso, somos levados aos núcleo da realeza e descobrimos o que Richelieu tramava. Por outro lado, Pothos, Aramis e D’Artagnan encontram as pistas faltantes. Trata-se do desaparecimento de cartas confidenciais escritas pelo Rei Louis XIII com objetivo de fazer um acordo de não agressão entre Espanha e França. Com isso, Richelieu recupera seu poder sobre o Louis XII ao passo que os mosqueteiros e seu novo aliado tentam encontrar os verdadeiros criminosos que causaram a acusação de Athos – e encontram!

Chegamos aos minutos finais do episódio onde tudo é resolvido. Richelieu vai ao encontro da pessoa que falou para os mosqueteiros onde estavam os criminosos e ainda aproveita para armar o gancho para os próximos episódios. Eu poderia dizer do que trata esse gancho, mas se eu realmente quero que você assista ao episódio, por que diria?

Eu realmente gostei de assistir a essa produção. Seja pelo tema que me fascina, seja pela competência da equipe técnica, atores, diretores, roteiristas e especialmente produção sonora, que dá vida a ele. Eu espero realmente que você também o assista e o recomende aos amigos. Até a próxima Estreia!

Kaio

Co-fundador do site. Analista de Sistemas de formação e curumim nerd por vocação. Apaixonado por uma Condurú.