Skip to main content

Anime, Aishiteru! Mangá, Aishiteru ‘também’!

Animes e Mangás definitivamente fazem muito sucesso entre o meio nerd de uma forma geral. O que para muita gente é “coisa de criança”, para os verdadeiros fãs é um verdadeiro hobby, um estilo de vida, um entretenimento fora de série e um rico aumento de cultura.

Mas porque esses quadrinhos japoneses com enredos absurdos, que devemos ler de trás pra frente e cuja adaptação para a TV possui uma abertura animada e um encerramento triste são tão populares e queridos assim?

Não se sabe ao certo. Isso é bem subjetivo. Existem pessoas que gostam mais de histórias de ação, outras de histórias comoventes, outras de um bom thriller policial e assim sucessivamente.

Existem algumas unanimidades de gostos: o carisma e personalidade forte e marcante de muitos personagens, por exemplo. Existem os inocentes, puros, dedicados, fortes, inteligentes, pomposos… e isso se estende até aos vilões. Realmente não é raro ver alguém gostar de um vilão.

anime-watching-anime

Enredos absurdos também se encaixam nas unanimidades, mas isso não significa que determinada história é ruim, pelo contrário. Quanto mais o absurdo for justificável, mais a história se torna inteligente. Death Note seja talvez o maior dos exemplos.

Higuchi-the-third-Kira
Animes por sua vez podem não ser produções multimilionárias como os filmes de Hollywood, mas só pelo fato de um fã sentir o gostinho de ver a sua história favorita com movimento e cores, já o faz ficar imensuravelmente satisfeito. A sensação definitivamente é única.

E como falar de Mangá sem falar dos clássicos que abriram em definitivo a criação de mais e mais produções. Clássicos que provocam aquela sensação de nostalgia nos fãs por marcarem época como Dragon Ball, Saint Seiya, Samurai X e Yu Yu Hakusho. Embora que para inspirar esses verdadeiros gênios que criaram estas séries, existiram muitos outros antes deles, que tinham muito mais dificuldades, e mesmo assim não desistiram de seus sonhos.

Quanto aos títulos mais recentes, vamos nos envolvendo em algumas histórias, começando outras, ficando na expectativa do final de Naruto e One Piece – se é que terão fim-, esperando pelas próximas produções que virão, pelos lançamentos de novos títulos nas carentes editoras brasileiras – até porque não tem preço ver ao menos uma publicação da franquia que você mais gosta nas prateleiras-, e tudo o mais de novidade que existe e existirá.

E se no momento que está lendo isso, você estiver cabisbaixo, tenho uma sugestão para você: anime-se.

Shell-kun

Estou tão ocupado ultimamente que só consigo ser Otaku 23 horas por dia